terça-feira, 17 de maio de 2011

O porquê da pipi se vai despedir e depois foi voltar para tràz e voltou com a dec-isão atràszes (correcção feita pela Teresa)

A resposta está aqui e aqui.
Caso não entendam, é lerem isto e perceberão que uma pessoa não é de ferro.

17 comentários:

Teresa disse...

Ai, Pipi, Pipi...!

Quer saber como seria este título escrito com correcção?

O porquê de a Pipi hoje se ter despedido da blogosfera e depois ter voltado

Entendidas? :)

Mie disse...

Fixe a Pipi nao foi embora :)))

Zaahirah disse...

Continuo sem entender... será que é porque os links não funcionam?

Pipi, estás a pregar-nos partidas ou a testar a nossa inteligência? oO

Anónimo disse...

bem me parecia

Teresa disse...

Saiu pior a emenda do que o soneto.

E nunca, nunca, "da Pipi", neste caso. "DE a Pipi".

Por sua causa ainda começo a ter de pintar o cabelo mais cedo do que esperava. Má!

L!NGU@$ disse...

A Teresa ainda não descobriu que já se "inventou" a contracção do 'de' com o 'a'. Alguém que lhe diga, que eu tenho medo de escrever alguma coisa dirigida a ela. Ainda sou corrigido e isso arruinava a minha auto-estima.

Teresa disse...

À trave, caro L!ng@as, à trave. Não neste caso, lamento lamentar.

Graças a Deus temos o Ciberdúvidas, que acaba de me poupar uma trabalheira a explicar:

http://www.ciberduvidas.com/pergunta.php?id=1752

Seja como for, escreveu correctamente auto-estima, não se perde tudo. :)

P.S. Isto é uma brincadeira amigável, não se ofenda. E é um dos erros que mais frequentemente encontro na imprensa, os "do" e "da" que na verdade devem ser "de o" e "de a".

L!NGU@$ disse...

Teresa, Teresa, também eu me posso vangloriar ao nível do bem escrever, porque, como viste, consegui tocar nas teclas de forma a cá colocar a palavra auto-estima de forma correcta. Sou especial nisto da língua portuguesa. Tenho um dom.

Gostava, no entanto, que me fosse explicado em que medida faz sentido naquela frase usar o "de a" e não o "da". Ou isso ou que a Teresa entendesse de uma vez o ridículo que é corrigir o humor.

Anónimo disse...

acho muito mal, nao se manipulam assim as pessoas...

Teresa disse...

L!ngu@as,
Temper, temper!...
Sentido de humor é justamente coisa que me parece que faltou desse lado, am I right or am I right?
Se não consegue perceber por que neste caso é "de a" e não "da", mesmo depois da explicação do Ciberdúvidas, nada mais posso fazer.

Luna disse...

por acaso neste caso a teresa tem razão, mas o 'erro' é tão frequente que já nem deve ser legítimo chamar-lhe erro.
percebeu-se o que a pipi quis dizer, portanto qual é o drama, mesmo?

Teresa disse...

Continua a ser considerado erro.

E achar que se pode escrever com erros desde que se perceba é uma ideia, no mínimo, bizarra.

Luna disse...

no mínimo bizarro é criar a discussão que a teresa criou por causa de uma porra de um erro. porque é que não se limita a corrigir? porque é que tem que vir com a idiota da sua ironia de bolso para cima de outros comentadores? é que uma coisa é corrigir um erro, outra é ser chata e repetitiva. a teresa corrige o erro uma vez, acaba aí; qual é a necessidade de repetir 300 vezes que há um erro? as pessoas lêem bem à primeira, se querem continuar na delas deixá-las, ou a teresa agora é tipo jeová e só desiste quando converte toda a gente?

Teresa disse...

Luna, não vou entrar em guerra consigo nem ripostar com agressividade à sua agressividade despropositada (veja lá se a Pipi está incomodada com as minhas correcções, nem sequer o L!ngu@as se incomodou mais), escrita de modo moderno, sem maiúsculas a seguir a pontos, sem maiúsculas em nomes próprios.

Seja como for, gramática ainda é gramática: o seu "tem que vir" deve ser "tem de vir".
Mais feliz agora?
E não, não volto a responder-lhe.

Anónimo disse...

Se não em engano, esta Luna é a que corrigiu a pipi com o famoso "risse" explicando que, surpresa, é "ri-se".

Não entendeu a mecânica da coisa mas resmunga como ninguém.

Anónimo disse...

* se não ME engano.


(nunca se sabe)

Teresa disse...

Cara Anónima,
Qualquer pessoa com dois dedos de testa sabe distinguir um erro ortográfico ou gramatical de uma gralha, que foi o seu caso: uma mera troca de letras. :)