quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

^ ^

Sou adversa a pseudo intelectuais, para mim, devem provar que realmente sabem as coisas, tipo com um certificado, de preferência num almoço entendiante onde nem mesmo a roupa de marca e o relógio de pulso possam me encantar. Aí falarei dos meus amigos [todos homens, sou pragmática e nem sempre bem entendida] e da minha vida [que ainda não percebi se existe]. Depois, falarei da inquietação, do quanto me sinto triste. Após algumas horas rejubilarei por finalmente ter encontrado o nirvana, e é tão fácil ser feliz... Para acabar, irei queixar-me do quanto isso de ser feliz e em paz é uma seca que já não aguento. Voltarei ao inicio, do quanto detesto pseudo intelectuais, do quanto sou pragmática e da inquietação. Claro que no meio ver-me-ão suspirar pelo sartorialist e da pena que tenho por não existirem homens com a quarta classe de classe em portugal. Já vos disse o quanto sou pragmática?

1 comentário:

Pilar disse...

bom resumo. no meu blog pareço uma pessoa bastante interessante. ou bipolar. na vida nem tanto.