quarta-feira, 9 de março de 2011

Se o meu carro estivesse bom para ir para a sucata


... eu não pensava duas vezes em marrar contra alguns parolos, como aqueles velhinhos que teimam em atravessar a estrada sem olhar, ou que ainda vão a meio e já o sinal está vermelho para os peões. Posso não ser a melhor condutora, mas respeito as regras. E regras são regras, se está verde, é para avançar, o velhinho que se despache mas é. Ainda por cima eu utilizo sempre piscas, páro nos stops, nos sinais vermelhos, e até abrando no amarelo. Porque respeito as regras. Agora, quando o pessoal não as respeita, ó minhas amigas, não respondo por mim. Digamos (diga-mos?) que eu já sou uma pessoa psicopata da cabeça, e só penso duas vezes em evitar acidentes que podem custar a vida a outros seres humanos porque não quero ficar com nenhuma amolgadela ou arranhões no meu estimado carrito. E até porque o sangue é uma chatice para sair, aquilo só lá vai mesmo com lixívia, e estraga a pintura. Se não iam ver, ai atravessas no sinal vermelho sem olhar, tungas, ficas tetraplégico que é para aprenderes. Mas como uma pessoa estima o seu carro lá tem que deixar de passar a ferro uns quantos tansos. Uma chatice. Ainda se o carro fosse velho... aí, sim, era o delírio.

1 comentário:

provocação disse...

Em Portugal atropelar é na boa, a outra lá se safou de tudo com os seus 120km no Cais do Sodré, matou e incapacitou mas no pasa nada.
Se há coisa que odeio são condutores impacientes, saiam mais cedo da cama.