terça-feira, 22 de março de 2011

Olá idiotas insignificantes :)

Haja alguém que me dê algo para escrever um post e upa upa aumentar o meu sitemeter (não que eu precise, já procurei fotos cor de rosa que dão até o fim do ano, o finque pinque é sempre um enooorme sucesso) mas vá, vamos lá a mais uma rubrica deveras interessante do ponto de vista humano nem que seja porque há com cada palerma que me lê que fico doida com isto (inspira, fique pinque, expira, finque pinque).
Então a carta começa assim;

"Olá, amor é um sitio lindo. Sou uma jove de 54 anos e conheci, há pouco tempo e pela internet, um garanhão de 34 anos com quem empatizei logo. No site "match.com" ele tinha como nick "el biutiful from Moscavide" e eu? eu rime. Claro. Eu era a "princesa de freud", homenagem ao meu gosto pela culinária. Enfim, começamos a trocar mails a toda a hora e a falar no msn até que ele desapareceu. Dois meses depois recebi um mail dele a dizer que lhe tinham cortado a net e que tinha pena mas não podia mais falar comigo porque era muito caro (56 euros) e ele, todo o dinheiro que ele ganhava era para um sonho que ele tinha, ir para massamá aprender wrestling .  claro que o amor não olha a meios e eu, cega, fiz-lhe uma transferência bancária nesse valor e voltamos a falar. Eu amava aquele homem mais do que a minha própria sombra!  trocamos números de telefone e logo aconteceu o mesmo! deixou de me responder a sms. claro que era outra vez falta de pagamento do telemóvel e eu, como no amor não olho a meios, lá paguei (75 euros).Ainda lhe sugeri que ele fizesse um blog "take me to levar porrada" e assim ganhar dinheiro para o tal curso e pós graduação em Wrestling, mas ele? ele risse.
Tudo ia bem e lá nos encontrámos, fizemos o Amor num hotel que era único (com único quero dizer única estrela) e foram os 2 minutos mais felizes da minha vida. Claro que fiz questão em pagar o hotel (45 euros) porque ele tinha sido assaltado ao vir para cá (também lhe paguei o táxi de volta para casa que ele, coitado, ficou sem carro) e uma ajudazinha para uma bucha numa estação de serviço (120 euros). Todos dizem que estou a ser chulada, que há gajos que pedem mais barato, que estou a fazer figuras mas eu? eu não me importo, eu sei que quando ele não fala ao fim de semana é porque não pode, as vozes são os sobrinhos e a mulher que atende o telefone de vez em quando é a irmã dele. Também sei que sou única e quando ele me trata por Sara é porque tenho realmente cara de Sara.
A minha dúvida (e aqui sei que só tu me podes ajudar) é;

Pago em cash ou em cheque?"

5 comentários:

provocação disse...

LOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOL :D
Isto é muito bom mesmo!
Eu aconselho a leitora a pagar em cash que o cheque pode ser adulterado e com jeitinho ainda fica sem nada para depois pagar à bruxa.

Diana disse...

Ahahahahahahahahahahahahah!!
Caneco, o que eu já me ri.
Obrigada.
Keep up with the good work.

Anónimo disse...

giro! acabei de ler a carta no finque-pinque e claro está está hilariante

parabéns

€%$@ disse...

A comida nas estações de serviço é bué da cara, man!

Pipi, my dear, diz à tua leitora que para chegar ao "Take me to levar porrada", é só apanhar aquela lambreta que segue até ao "Mas ele gosta de mim" e virar ali na segunda à direita, onde diz "Ele disse que foi a última vez e que é para o meu bem".

Maria Flausina disse...

Só me consegui lembrar do "Quingue da Brandoa, o Rei do Réssel".